E-commerce fatura 28,8 Bi em 2013 e continua em amplo crescimento

crescimento-ecommerce

Segundo a 29ª edição do Webshoppers,da E-bit, 9,1 milhões de pessoas compraram online pela primeira vez no ano passado e o mobile commerce é a grande tendência para 2014

O faturamento do comércio virtual cresceu 28% em 2013, para R$ 28,8 bilhões. Crescimento maior do que o registrado em 2012 (20%). O número de e-consumidores também cresceu consideravelmente. No ano passado, 9,1 milhões de pessoas compraram online pela primeira vez, elevando o número de consumidores únicos – que, ao menos uma vez, já utilizaram a internet para adquirir algum produto – para 51,3 milhões.

E-Commerce faturou R$ 28,8 bilhões no período de 2013

Um dos impulsionadores do faturamento foi o Black Friday — dia de descontos promovido em novembro. Em um só dia os empresários que atuam com o comércio eletrônico movimentaram financeiramente R$ 770 milhões.  “Esse número é extremamente positivo pois em um dia comum, o varejo eletrônico movimenta entre R$ 80  a R$ 100 milhões.” Para esse ano a expectativa é que o setor passe por um momento de acomodação. “Estimamos crescimento nomimal de 20% para o setor esse ano com faturamento na casa dos R$ 34,6 bilhões. Com a  maturidade do mercado é normal que o crescimento comece a se acomodar”, explicou Guasti.

Moda e acessórios foi a que mais vendeu em 2013

Segundo o ranking de vendas identificado pela pesquisa, a  categoria de moda e acessórios foi a que mais vendeu em 2013; seguida de cosméticos e perfumarias; eletrodomésticos; livros e assinatura de revistas; informática; telefonia; casa e decoração; eletrônicos; esporte e lazer e brinquedos, respectivamente.  O relatório que está em sua 29º edição foi feito em conjunto pela E-bit, a Câmara Brasileiro de Comércio Eletrônico (câmara-e.net), Buscapé, Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (Fecomercio) e da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (Abcomm).

Previsões E-commerce para 2014

Para este ano, a e-Bit avalia que a influência de fatores como o Carnaval tardio, maior quantidade de feriados prolongados, Copa do Mundo e Eleições, farão o crescimento do  e-commerce brasileiro voltar aos patamares de 2012. Até o final do ano, o setor deve apresentar um crescimento nominal de 20%, faturando R$ 34,6 bilhões.